A configuração do Reports Viewer, quer seja no iOS, macOS ou Windows, é efetuada através da digitação de diversos parâmetros, que determinam o servidor que deverá ser acessado, os bancos que serão disponibilizados para o usuário, a senha de acesso aos bancos de dados, etc.


Para acessar a configuração do Reports Viewer você deverá seguir o procedimento abaixo:


  1. Carregue o Reports Viewer no seu dispositivo ou notebook.
  2. Clique ou toque a engrenagem que está no canto superior direito da tela.
  3. No editor de textos, forneça os parâmetros de configuração (ver abaixo), sendo que esses parâmetros e seus respectivos valores deverão ser separados por = .
  4. Após definir todos os parâmetros, clique em Confirmar para registrá-los no seu dispositivo;


Os parâmetros que podem ser informados na tela de configuração são os seguintes:


Parâmetro

Função ou significado

SERVIDOR

Define o caminho de acesso ao servidor NexusDB onde são armazenados os dados do Hipercusto e os relatórios cadastrados no sistema. Esse parâmetro é fornecido do seguinte modo:


HTTP://<SERVIDOR>:<PORTA>/<NOME>


É possível acessar o servidor pelo número do seu IP (se você estiver na rede da empresa ou possuir uma VPN) ou através de um nome DNS. O número da porta e o nome do servidor é definido na tela de configuração do NexusDB.


Exemplos:


SERVIDOR=http://192.168.1.1:2001/nexusdb

SERVIDOR=http://server_vpn:2001/nexusdb

SERVIDOR=http://matriz.ddns.net:2001/nexusdb


USR_DB

Determina o usuário de conexão ao NexusDB (não confundir com o nome do usuário de acesso ao Hipercusto). O padrão do NexusDB é aceitar qualquer conexão ao servidor, mas, para aumentar a segurança e evitar acessos não autorizados ao banco de dados, você pode ativar o modo "seguro" e, nesse caso, apenas os usuários cadastrados no NexusDB terão seu acesso autorizado.


Exemplo:


USR_DB=Junior


PWD_DB

Se você ativou o modo seguro do NexusDB, além do nome do usuário (ver acima) você deverá informar a senha de acesso deste usuário.


Exemplo:


PWD_DB=AbC@123


BANCO_X

Define os nomes dos bancos de dados que poderão ser acessados pelo usuário, sendo que o "X" deverá ser substituído por uma identificação sequencial numérica do banco.


Exemplos:


BANCO_1=Hipercusto

BANCO_2=Filial_1


Importante:

  • Além de cadastrar os bancos de dados na tela de configuração, você deverá definir, na tela de configuração do NexusDB, quais bancos de dados poderão ser acessados remotamente.
  • Não é possível utilizar caracteres especiais, acentuação ou espaços nos nomes dos bancos e, assim, caso algum "alias" do NexusDB possua espaços ou acentuação, eles deverão ser renomeados de modo que utilizem apenas letras sem acentuação e/ou números.


TIMEOUT

Define após quanto tempo sem utilizar o aplicativo a conexão com o servidor deverá ser encerrada e o Reports deverá voltar para a tela de autenticação do usuário.


Exemplo:


TIMEOUT=15


Observação:

  • O tempo é fornecido em minutos e se você fornecer um valor inválido o Reports assumirá o padrão de 15 minutos.


SALVAR_USR

Na tela de autenticação do usuário, ao lado do nome de acesso, será exibido um campo de seleção que, quando estiver marcado, salvará o nome do usuário digitado e, assim, na próxima carga do aplicativo o usuário não precisará digitar o nome novamente.


Essa opção é útil quando, por exemplo, o usuário possui um dispositivo com acesso protegido por senha e, assim, ao desbloquear o dispositivo e carregar o Reports, não será necessário redigitar a senha de acesso. No entanto, como o nome do usuário foi "memorizado", qualquer pessoa que carregue o Reports quando o dispositivo estiver desbloqueado, verá o nome do usuário que foi digitado.


Essa opção é ativada/desativada digitando a palavra "SIM" ou "NAO" ao lado deste parâmetro.


Exemplos:


SALVAR_USR=SIM

SALVAR_USR=NAO


Observação:

  • O padrão para esse parâmetro é SIM, isto é, se você não deseja que a opção de memorização seja exibida, deverá fornecer esse parâmetro com a opção NAO.
  • Se você fornecer esse parâmetro com um valor inválido, então o sistema entenderá que não deve ser permitido salvar o nome do usuário.


SALVAR_PWD

Essa opção é similar a opção anterior e funciona com o campo senha da tela de login.


Exemplos:


SALVAR_PWD=SIM

SALVAR_PWD=NAO


SALVAR_DB

Essa opção é similar a opção anterior e funciona com o campo de seleção do banco de dados.


Exemplos:


SALVAR_DB=SIM

SALVAR_DB=NAO



Veja um exemplo de arquivo de configuração:


SERVIDOR=http://192.168.1.1:2001/nexusdb

USR_DB=Junior

PWD_DB=AbC@123

BANCO_1=Hipercusto

BANCO_2=Filial_1

BANCO_3=Filial_2

BANCO_4=Loja_Atacado

SALVAR_USR=SIM

SALVAR_PWD=NAO

SALVAR_DB=SIM


Como você viu, é muito simples definir os parâmetros de configuração de acesso, porém, o método acima possui alguns "inconvenientes":

  • Como eles são digitados em modo "texto" eles podem ser acessados ou alterados pelo usuário, o que pode ser um "problema" se o usuário desejar agir de "má fé" e divulgar esses parâmetros para terceiros.
  • Quando a empresa possuir um número elevado de usuários, pode ser um pouco trabalhoso digitar a configuração em cada dispositivo, principalmente quando o dispositivo é um iPad ou um iPhone.



Para contornar os inconvenientes acima, existem três parâmetros especiais que, quando especificados, simplificam a configuração dos parâmetros e evitam que o usuário veja quais os parâmetros que foram fornecidos:


Parâmetro "especial"

Função ou significado

KEY_CONFIG

Indica que os parâmetros de configuração devem ser lidos a partir de uma sequência criptografada, fornecida em uma única linha logo após esse parâmetro.


Exemplo:


KEY_CONFIG=ZHfbnUZR8ot/xZik8RnprnZr3GWIVqxEPIrniC0Xs7vNXEDgpI9A9yRqKNdc3Hlf38BY7HgG6pEuefBPxXkHO3bd6GRvETsQAUgr6kyn50daagRlak69i+fk1C2bAaFiBh4m4DcMZK5tTsYGamqvSuNVsaPqbtiJ7vrKNgMUDsMBSj49dUDP9NuZzhU+fOEncKtRRpksQZ2NprewPAcXtVuKcc6IMR21hkVUStaMxB0t1AtgBiXdCP46fvB6dzBt37g+8c7yOhNgKmrpee6sdsRxRRjKSimpoBRkFFH+/Vs2yR/8zR1jQicIey+aFCxt4WjcO4zlUieADUrMbXRujkzjNMHAflJKPv6Xr0sMxqL+fmBroRlFPgpEuvRJIqwuNNHaWOBQrsLyHz4Ut7Rq=


Importante:

  • A sequência criptografada com os parâmetros de conexão deverá ser fornecida em uma única linha e poderá ter, no máximo, 8 Kbytes.
  • Entre em contato com a NatSam para ver como gerar a sequência criptografada dos parâmetros de configuração.


URL_CONFIG

Este parâmetro define que as configurações deverão ser obtidas a partir de um arquivo armazenado em um servidor de internet (através de uma conexão HTTP):


URL_CONFIG=http://www.empresa.ind.br/cfg/report.txt


Importante:

  • O arquivo especificado deverá existir na URL especificada e ele deverá estar criptografado de acordo com o padrão do Reports.
  • Entre em contato com a NatSam para ver como gerar um arquivo de configuração criptografado dos parâmetros de acesso.


DSK_CONFIG

Este parâmetro, disponível apenas na versão do Reports para Windows e OS-X, indica que as configurações de acesso deverão ser obtidas a partir de um arquivo armazenado localmente ou em seu servidor de arquivos.


Exemplo:


DSK_CONFIG=F:\Configs\report.txt


Importante:

  • O arquivo especificado deverá existir no local indicado e ele deverá estar criptografado de acordo com o padrão do Reports.
  • Entre em contato com a NatSam para ver como gerar um arquivo de configuração criptografado dos parâmetros de acesso.
  • No iOS (iPad e iPhone) esse parâmetro não tem utilidade e será ignorado se for especificado.



Na tela de configuração do Reports Viewer, você poderá especificar apenas um dos parâmetros especiais. Caso especifique mais de um, apenas um deles será considerado pela aplicação.


Ao especificar um dos parâmetros especiais acima, quaisquer outros parâmetros fornecidos na tela de configuração serão ignorados.